Centro Cultural A História Que Eu Conto

27 05 2009
Sede na Vila Aliança

Espaço A História Que Eu Conto

Apresentação:

O Centro Cultural A História Que Eu Conto (CCHC), é uma organização não governamental sem finalidades lucrativas, criada a partir do “Encontro de Sonhos” de três moradores da Comunidade de Vila Aliança: Samuel Muniz (Samuca), George Cleber (Binho) e Jeferson Cora (Jê). Depois de participarem de diversos projetos e iniciativa na sua maioria vinda de fora da Comunidade, os “três loucos” como eram considerados decidiram idealizar uma Instituição que surgisse como referencia de dentro da Comunidade, promovesse o acesso a Cultura, resgatasse o sentimento de pertencimento e principalmente evidenciasse a valorização histórica do Complexo de Vila Aliança e Senador Camará, exemplo: A Vila Aliança é o primeiro conjunto habitacional da América Latina, oriunda do processo remoções do governo Lacerda, 1960. Atualmente estima-se que existam aproximadamente 400 mil habitantes neste complexo e nunca houve um investimento nos segmentos culturais na região por parte do Governo.

Com um forte exemplo de superação do Samuca, que década de 80 esteve entre os criminosos mais procurados do RJ, ficou preso por sete anos, ainda na cadeia teve sua concepção mudada prometendo a Deus que utilizaria sua história de vida como exemplo para que outros adolescentes não se envolvessem com a criminalidade e se tornaria referência para aqueles que se encontrasse no sistema penal. Atualmente muitas outras histórias de superação se agregaram ao CCHC, criando uma grande engrenagem movimentada pelo amor e a vontade de desenvolver todo Complexo. Se no início eram apenas três loucos hoje são 30 voluntários que se esforçam na busca por uma sociedade mais justa, uma melhor qualidade de vida da população e projetar os aspectos positivos dessas Comunidades para o Mundo.

"Os Três Loucos" Da esquerda para direita: Binho, Samuca e Jeferson Cora

Durante um ano de funcionamento a credibilidade do CCHC conquistou parceiros importantíssimos para essa trajetória, como: SESC RIO, [1]FASE, Rede de Tecnologia Social, [2]UNICEF, ACERB –Associação Comercial e Empresarial da Região, Casa da Moeda do Brasil, BEG TV, Secretaria de Estado da Cultura, Faculdade Simonsen, CIEZO – Conselho das Intituições de Ensino Superios da Zona Oeste, Instituto Terrazul ,Instituto Rede Ação, IBISS – Instituto Brasileiro de Inovações em Saúde Social ,  COOPERAC – Cooperativa dos Agentes Culturais, Dhemarest e Almeida Advogados, Grupo Sócio Cultural Raizes em Movimento, Rede CCAP (Núcleo de Direitos Humanos de Manguinhos) de dentro das Comunidades.

O CCHC está posicionado no centro dessas duas Comunidades e disponibiliza atividades de: Graffiti, Dança de Rua, Capoeira, Modelagem, Inglês, Reforço Escolar, Grupo de terceira idade Vivendo e Dançando, Teatro, Exposição permanente “O Negro na Cultura Popular Brasileira” do artista plástico Bartolomeu Jr. (morador da comunidade e um dos fundadores do CCHC) . Além de uma biblioteca comunitária Quilombo dos Poetas com mais de  5 mil exemplares,  muito acessada pelas Comunidades.

Nossa Missão : Trabalhar pelo Desenvolvimento Local do Complexo de Vila Aliança e Senador Camará, através da democratização do acesso ao conhecimento e à pluralidade Cultural.

Nossa Visão: Tornar-se referência em empreendedorismo cultural, fomentando nossa metodologia em regiões de dentro e fora do país que tenham como principal meta o seu desenvolvimento humano e sócio sustentável.

Acreditamos que o conhecimento e a Cultura sejam ferramentas essenciais para o redirecionamento estrutural e intelectual da Sociedade de uma forma geral, a médio e longo prazo possam com certeza surtir mais efeitos que operações policiais, grades, cercas elétricas, carros blindados, etc. O CCHC foi criado acima de tudo para mostrar que as realizações dos Sonhos são possíveis sem distinção de classe, gênero ou raça,  que precisamos unir forças na contribuição em prol de um Mundo melhor, sejam bem vindos, abaixo foto com parte da equipe do CCHC.



[1] FASE: Projeto Acesso a Justiça e a Cultura de Direitos – Com Apoio da União Européia o Projeto tem a proposta de em dois anos capacitar 15 jovens em JPPJ (Jovens promotores Populares de Justiça).

[2] UNICEF: Fazemos parte da Plataforma dos Centros Urbanos e somos um dos Grupos Articuladores Locais, com o objetivo fazer chegar às Comunidades os Direitos das crianças e adolescentes.


Ações

Informação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: